Início > Uncategorized > “Histórias Cruzadas” – Resenha crítica do filme

“Histórias Cruzadas” – Resenha crítica do filme


Sul do Mississipi, década de 1960. Os EUA vivem os conflitos do apartheid racial envolvendo brancos e negros. A cidade de Jackson, localizada naquele estado é o lugar onde se passa “Histórias Cruzadas” (“The Help”), 146 minutos, adaptação em live action da obra homônima da escritora Kathryn Stockett. Empregadas negras trabalham para abastadas famílias brancas, sendo tratadas de forma preconceituosa. A condição para quem nasce negro – e mulher – é já saber de antemão que o futuro será trabalhando como doméstica, cuidando dos bebês brancos, tendo a consciência de que, um dia, os próprios bebês serão tão ou mais racistas que seus próprios pais. É a ordem natural das coisas.

Até que surge a personagem de Eugenia Skeeter (Emma Stone), que é jornalista recém-formada e vai trabalhar no The Jackson Journal. Ela irá desencadear uma verdadeira revolução social entre donas-de-casa / patroas e empregadas, ao tentar reunir depoimentos pessoais, testemunhos e histórias sem fim dos maus tratos, humilhações e preconceit0s que as elites brancas têm com relação aos negros. Aibileen (Viola Davis, indicada ao Oscar de Melhor Atriz) é uma empregada negra que perdeu o filho ainda jovem e reúne todas as características de opressão racial, sofrimento e desencanto pela vida que leva: trabalha robotizada, submetendo-se a tudo e a todos e cuidando de uma bebê branca cuja mão não dá a mínima para a filha. Já Minny (Octavia Spencer) é outra empregada que é a antítese de Aibileen: temperamental, enfrenta os patrões e não leva desaforo pra casa. Ela vai se juntar a outras doze empregadas, que juntas, irão compor suas histórias cruzadas em um livro chamado “A Resposta”. O livro será o ponto de partida para profundas transformações em Jackson, mesmo que sejam dolorosas.

Histórias Cruzadas é um retrato social da sociedade estadunidense dos anos 1960 e seus conflitos, embates por direitos civis e a exposição da ferida racial, que perdura de forma invisível – porém presente – até os dias atuais. Utiliza-se de personagens que podem ser confundidos com pessoas reais. É um emocionante filme sobre igualdade e fraternidades pessoais: histórias que se cruzam na tentativa de apagar a nódoa do racismo.

O filme recebeu quatro indicações ao Oscar deste ano, incluindo Melhor Filme também.

TRAILER OFICIAL LEGENDADO, EM HD:

About these ads
CategoriasUncategorized
  1. denise silva
    julho 27, 2012 às 11:24

    Esse filme relata a verdadeira história do preconceito racial que envolve personagens da vida real para os dias de hóje pois nada mudou ainda existe pessoas negras que sofrem humilhaçâo e são rejeitadas pela nossa sociedade que é preconceituosa e racista devemos mudar esse quadro respeitando as pessoas e aceitando as diferenças classes sociais racial e politica pois deus nos fez para amar uns aos outros dependente de qualquer cor seja rico ou seja pobre pensem nisso e seja um verdadeiro cidadão

  2. março 1, 2013 às 16:52

    Muito bom o filme recomendo todos a assistirem

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 289 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: